Oscar 2018: apresentador dispara contra Trump e agrada minorias

O momento de maior ativismo político pelo direito das minorias e das mulheres, na 90ª edição do Oscar, realizada neste domingo (4), depois do monólogo de abertura do comediante Jimmy Kimmel, ocorreu quando Frances McDormand, vencedora do prêmio de melhor artiz, pediu a todas as colegas indicadas na noite que ficassem em pé. O objetivo era alertar pela falta de igualdade no tratamento entre homens e mulheres. 

Leia também: Confira os vencedores do Oscar 2018 e os comentários dos colunistas da Gazeta do Povo no #Oscarsemlacre

Fora essa iniciativa, apenas Kimmel tocou os dedos nas feridas da Academia. Depois de lembrar a gafe do ano passado, quando o filme “La La Land” foi premiado por engano no lugar do verdadeiro vencedor da noite, “Moonlight: Sob a Luz do Luar”, e criticar o grupo de auditores da Pricewaterhouse Coopers que erraram na distribuição dos envelopes, deu alfinetadas para todos os lados. Mas, depois, o evento desenrolou em um tom “morno”, sem grandes menções às principais polêmicas.

Veja alguns dos temas controversos elencados pelo apresentador:

Como Hollywood trata as mulheres

“Um exemplo de como Hollywood está perdida quando fala sobre mulheres. Nós fizemos um filme chamado ‘What Women Want’ (‘Do que as mulheres gostam’) com Mel Gibson. É tudo que precisam saber.”

“Lembro-me de uma época em que os grandes estúdios não acreditavam que uma mulher ou uma minoria pudesse abrir um filme de super-heróis – e a razão pela qual me lembro daquele tempo era porque era março do ano passado”.

“Mark Wahlberg recebeu US $ 1,5 milhão para voltar a gravar suas cenas [pelo filme “Todo o Dinheiro do Mundo”] enquanto Michelle Williams recebeu apenas US$ 80 por dia pelo mesmo trabalho. E o que tornou especialmente injusto é que Mark e Michelle são representados pela mesma agência. E eu tenho que admitir, essa história realmente me surpreendeu. Fiquei abalado por que se não podemos confiar nos agentes em quem podemos confiar?”

“Um filme indicado para 13 Oscars é ‘A Forma da Água’, escrito e dirigido por Guillermo del Toro, um homem maravilhoso. Obrigado, Guillermo, sempre lembraremos deste ano, quando os homens trataram tão mal as mulheres que elas começaram a namorar peixes”.

Harvey Weinstein

“A academia, como todos sabem, tomou medidas no ano passado para expulsar Harvey Weinstein de suas filas. Havia muitos grandes indicados para essa cartegoria, mas Harvey merecia o prêmio máximo”.

“A Academia o expulsou e eu estava curioso sobre o histórico desse tipo de coisa. Você sabe que, antes disso, a Academia só expulsou uma pessoa, o ator Carmine Caridi. Em 2004, ele foi expulso por emprestar vídeos em VHS com produtores. Carmine Caridi recebeu o mesmo castigo que Harvey Weinstein por ter entregue ao vizinho uma cópia de ‘Alma de Herói’ em VHS.”

“Mas o que aconteceu com Harvey, e com os outros, está muito atrasado. Não podemos deixar que esse tipo de comportamento continue ocorrendo. O mundo está nos observando. Precisamos dar um exemplo e a verdade é que, se tivermos sucesso aqui, se pudermos trabalhar juntos para parar o assédio sexual no local de trabalho, se pudermos fazer isso, as mulheres só terão que lidar com o assédio o tempo todo em qualquer outro lugar que forem”.

O presidente Donald Trump

“Jordan [Peele] é apenas a terceira pessoa em 90 anos a receber ao mesmo tempo três indicações aos prêmios de melhor filme, direção e roteiro, pelo seu primeiro filme. E que estreia, hein? Ninguém mais do que o presidente Trump considerou ‘Corra!’ como um dos melhores filmes – se assistido apenas três-quartos do total”.

Mike Pence

“’Me Chame pelo Seu Nome’ conseguiu 90 milhões de dólares, mas não fazemos esse tipo de filme por dinheiro, mas para incomodar Mike Pence”.

Fox News

“O Oscar completa 90 anos esta noite, o que significa que ele provavelmente está em casa agora assistindo a Fox News”.

Assédio sexual

“O Oscar é o homem mais amado e respeitado em Hollywood. E há uma ótima razão para isso. Apenas olhe para ele. Mantém as mãos onde podemos ver. Nunca diz uma palavra grosseira e, o mais importante, não tem pênis. Ele é literalmente uma estátua que respeita limites. E esse é o tipo de homens de que mais precisamos nesta cidade.”

(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “http://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.6”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Source link

Be the first to comment on "Oscar 2018: apresentador dispara contra Trump e agrada minorias"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*