Copa da Rússia 2018: os carros mais vendidos nos países participantes

Copa do Mundo começou e o clima da competição já contagia até mesmo que não curte o futebol no dia a dia. São 32 seleções disputando um dos troféus esportivos mais cobiçados do mundo de 14 de junho a 15 de julho.

E a Gazeta do Povo entra em campo para mostrar quais são os carros mais vendidos em cada país panticipante do Mundial na Rússia.

No Brasil, o campeão de emplacamento há três anos é o Chevrolet Onix, que também lidera o mercado em nações da América Latina, como o Uruguai. 

>> Jipe 100% nacional para as aventuras off road está de volta; veja preços

Para realizar o levantamento foram usados os dados da consultoria global Focus2Move e do blog Best Selling Cars, considerando as vendas em 2017. Vale ressaltar que nem todos os modelos da lista são comercializados no mercado brasileiro. 

GRUPO A

Rússia: Kia Rio


O país sede da Copa 2018 é dominado pelas fabricantes de carros asiáticas, como a sul-coreana Kia. O hatch compacto com nome brasileiro foi responsável sozinho por 100 mil unidades emplacadas do total de 1,6 milhão de novos veículos na Rússia em 2017.

O Rio é uma eterna promessa da Kia para o Brasil. Nossos vizinhos, como Argentina e Uruguai, comercializam o modelonas carrocerias hatch e sedã.

>> Roda flexível’ acaba com quebra em buracos e danos ao pneu

Egito: Chevrolet TFR

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Chevrolet TRF_20180606195817-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Desconhecida em boa parte do mundo, a picape de trabalho da General Motors é a mais procurada no terra do craque Salah, do Liverpool, uma das estrelas do Mundial. O modelo vendeu 15 mil dos 130 mil carros zero km negociados no Egito no ano passado.

Arábia Saudita: Toyota Camry

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Toyota Camry_20180606195832-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


David Dewhurst Photography

Os carros grandes são a preferência no mercado mais importante do Oriente Médio. Por isso, o sedã com pinta de carro de executiva da Toyota ocupou o posto mais alto do ranking. O Camry foi o escolhido por 35 mil dos 500 mil consumidores que compraram um veículo novo em 2017.

Uruguai: Chevrolet Onix 

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Chevrolet Onix-ID000002-1200x800@GP-Web.jpeg


O campeão de vendas é o mesmo do Brasil, que aliás é quem importa para o vizinho platino. O Onix feito em Gravataí (RS) registrou 4,5 mil licenciamentos dos 55 mil novos veículos que chegaram às ruas em 2017 no Uruguai. 

>> Conheça os carros a diesel mais acessíveis no Brasil

GRUPO B

Portugal: Renault Clio

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Renault Clio 3-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Aposentado no Brasil, o Clio ainda continua a fazer sucesso em países da Europa. Só que por lá ele já está na quarta geração (por aqui, sai de cena em 2016 quando estava na segunda geração).

Espanha: Seat León

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Seat Leon-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Os espanhóis consomem o que é feito em casa. O Seat León cravou 35 mil exemplares, de um mercado que vendeu 1,4 milhões de veículos zero no ano passado. A fabricante atualmente é controlada pela Volkswagen.

Marrocos: Dacia Logan

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Dacia Logan-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Conhecido do público brasileiro, o sedã compacto é vendido na Europa e na África pela romena Dacia, subsidiária da Renault responsável pela fabricação de carros populares. O Logan emplacou 13,5 mil exemplares num mercado de 170 mil carros novos em 2017.

Irã: Saipa Pride

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Saipa Pride-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Com mais de 30 anos de mercado iraniano, o veterano sedã é fabricado por uma marca local. O Saipa Pride quase não passou por mudanças ao longo da sua trajetória. Mesmo assim, vendeu 237 mil unidades no ano passado, um volume considerável no total de 1,5 milhão de carros que ganharam às ruas no país do Oriente de Médio.

>> Sandero e Logan são reprovados em teste de colisão; confira os mais seguros

GRUPO C

França: Renault Clio

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Renault Clio 2-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Em seu país natal, o Clio nada de braçadas diante da concorrência. A atual geração do compacto licenciou 115 mil exemplares, do total de 2,1 milhões de veículos negociados em território francês no ano passado.

Austrália: Toyota Hilux

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Toyota Hilux_20180611173336-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


O país é conhecido como a terra das picapes. Portanto, o campeão de vendas só podia ser um veículo de caçamba. E um conhecido nosso, a Toyota Hilux. O modelo, já o visual atualizado que ainda chegará ao Brasil, emplacou 47 mil unidades  no ano passado. O mercado australiano, por sua vez, comercializou 1,2 milhão.

Dinamarca: Peugeot 208

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Peugeot 208_20180611174815-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Se no Brasil, o bom Peugeot 208 ainda faz figuração no concorrido segmento de hatch compacto, na Dinamarca ele puxa fila, mesmo com com rivais de peso. Ele respondeu por 9,8 mil unidades do total de 220 mil novos carros vendidos no país escandinavo.

Peru: Toyota Yaris

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Toyota Yaris-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


O modelo que acaba de estrear no Brasil, já é sucesso no Peru. Em 2017, a geração anterior do Yaris foi responsável por 8,5 mil unidades, de um mercado que licenciou 180 mil zero km. A Toyota é marca preferida dos peruanos, que colocaram a Toyota Hilux no segundo lugar do ranking, apenas 100 exemplares abaixo do líder.

GRUPO D
Argentina: VW Gol

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/VW Gol_20180611184725-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Se no Brasil o Gol já perdeu o trono há alguns anos, na Argentina ele continua soberano. O Volkswagen fechou 2017 com 45 mil carros negociados, do total de 900 mil de veículos novos que chegaram às ruas. 

Croácia: Skoda Octavia

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Skoda Octavia-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Mais um modelo da turma das marcas que não vendem no Brasil. A Skoda é uma fabricante da República Checa, hoje controlada pelo Grupo Volkswagen. O sedã médio Octavia é um dos sucessos da empresa na Europa. Faturou 2,5 mil unidades na Croácia em 2017. Parece pouco, mas foi o suficiente para ficar à frente num volume total de 51 mil veículos novos.

Islândia: Toyota Yaris

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Toyota Yaris 2_20180611191339-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Novamente o Yaris aparece como líder de vendas – é um dos compactos mais vendidos no planeta. A diferença para o Peru (e também o Brasil, é que na Islândia é oferecida a versão europeia, menor e com visual mais atual do que está disponível na Ásia e América Latina.  O Toyota somou no ano passado 23 mil unidades licenciadas. 

Nigéria: Toyota Hiace

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Toyota Hiace-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


O mercado nigeriano é minúsculo. No ano passado foram apenas 7 mil novos veículos emplacado – metade do que o Chevrolet Onix vende no Brasil por mês. E a minivan Hiace, da Toyota, respondeu por cerca de um terço do total de modelos importados para o país africano.

GRUPO E

Brasil: Chevrolet Onix

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Chevrolet Onix 2-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Campeão de vendas no mercado brasileiro desde de 2015, quando destronou o Fiat Palio, o Onix não tem concorrência por aqui quando o assunto é emplacamento. Lidera com folga o ranking, bem distante de Hyundai HB20Ford Ka, que completam o pódio. Em 2017 foram 190 mil veículos negociados do Chevrolet, do total de 2,2 milhões de modelos novos saíram das concessionárias.

Costa Rica: Hyundai Accent

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Hyundai Accent-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


O sedã sul-coreano é comercializado em duas gerações no país da América Central, a penúltima e a atual – tal qual ocorrer com o Onix no Brasil. Somadas, levam o Accent ao posto principal de vendas na Costa Rica, que no ano passado licenciou 43,5 mil veículos zero km. Não há informações quanto o Hyundai representou deste volume total.

Sérvia: Fiat 500L

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Fiat 500L-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


crossover derivado do 500 pouco conhecido no Brasil faz sucesso na Europa, especialmente entre o público família – o modelo tem uma versão de 7 lugares. O visual da foto é anterior à renovação do carro, ocorrida no fim de 2017. A linha anterior foi responsável por vender 1,7 mil na Sérvia, cujo diminuto mercado entregou 30 mil carros novos no ano passado.

Suíça: Skoda Octavia

O modelo checo volta a figurar com destaque. Desta vez num país que respira um estilo de vida de alto padrão. O Skoda Octavia registrou 10 mil unidades emplacadas num disputado mercado de 345 mil automóveis novos em 2017.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Skoda Octavia 2-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


GRUPO F

Alemanha: VW Golf

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/VW Golf-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Na terra da atual campeã mundial, só poderia ser um carro local. O hatch médio é um dos modelos mais vendidos no mundo e a Alemanha contribui muito para esse desempenho. Foram 223 mil unidades comercializadas do Golf em 2017. Uma bela fatia dos 3,7 milhões de zero km que chegaram às ruas alemãs no ano passado. 

Coreia do Sul: Toyota Hilux

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Toyota Hilux 1-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Engana-se quem pensou que um carro da Hyundai ou Kia dominaria em sua casa. O posto de mais vendido foi ocupado em 2017 pelo Toyota Hilux, que chega à Coreia do Sul via produção na Tailândia.O volume foi de 36 mil picapes novas no ano passado, para um mercado que negociou 540 mil veículos zero.

México: Nissan Versa

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Nissan Versa-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


O sedã compacto reina no México. Até 2014, o Brasil importava o modelo do país norte-americano – passou a ser feito em Resende (RJ) desde então. Na terra dos Chaves (chamado lá de ‘Chavo del 8’), o Nissan Versa emplacou 93 mil unidades no ano passado – de um total de 1,5 milhão de veículos novos.

Suécia: Volvo XC60

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Volvo XC60-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Outro país em que o produto local puxa a fila dos mais vendidos. E curiosamente é o único utilitário esportivo da lista, lembrando que o segmento virou uma febre no mundo. O Volvo XC60 registrou 24 mil unidades licenciadas, entre os 430 mil modelos zero km em 2017.

GRUPO G

Bélgica: VW Golf

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/VW Golf 1-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


A cultura alemã influencia fortemente a Bélgica, especialmente nos bens de consumo. Com os carros não poderia ser diferente. O campeão de preferência dos belgas é o Volkswagen Golf. Foram 12,5 mil exemplares do hatch médio num universo de 500 mil carros novos  vendidos no ano passado.

Inglaterra: Ford Fiesta

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Ford Fiesta-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Os números apurados pela Focus2Move refere-se ao mercado do Reino Unido, do qual a Inglaterra é integrante. E aí o Ford Fiesta  cravou a liderança em 2017, com 94,5 mil emplacamentos para um volume de 2,9 milhões modelos novos negociados nos territórios subordinados à Rainha Elizabeth.

Panamá: Toyota Corolla

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Toyota Corolla_20180614135329-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


Outro país cujas informações sobre o mercado automotivo não é tão claro, conforme mostra os dados divulgados pela Focus2Move. A entidade cita o Toyota Corolla  (versão americana) com o carro mais negociado nos 11 primeiros meses de 2017, porém sem informar o volume. Apenas que 57 mil veículos novos chegaram às ruas panamenhas.

Tunísia: Renault Clio

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Renault Clio 4-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


O país africano comercializa duas versões da quarta geração do Renault Clio: com e sem a reestilização. Somadas, ambas registraram 2,2 mil unidades entre janeiro e agosto do ano passado – período disponível no levantamento da Best Selling Cars. Os tunisianos consumiram no total 64 mil automóveis zero km.

GRUPO H

Colômbia: Renault Sandero

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Renault Sandero 2-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


O hatch da Renault faz bastante sucesso no mercado sul-americano. E um dos países que mais vendem é a Colômbia. Lá o Sandero lidera, com 20 mil carros negociados em 2017, de um total de 240 mil veículos que deixaram as concessionárias.

Japão: Daihatsu Move

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Daihatsu Move-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


O país asiático é conhecido pelos carros tecnológicos, mas também pelos de tamanho supercompactos, chamados de ‘kei car’. Ele dominam as ruas das metrópoles japonesas. O mais procurado nas lojas é o Daihatsu Move, uma espécie de minivan que foi parar na garagem de 270 mil compradores em 2017. O mercado no Japão é numeroso, com 5 milhões de veículos novos registrados no ano passado.

Polônia: Skoda Fabia

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Daihatsu Move_20180614151653-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg


A montadora checa Skoda tem boa participação nos países do leste europeu. Na Polônia, o Fabia, irmão hatch do Octavia, é o mais visto pelas vias e estradas. Registrou 19 mil exemplares em 2017, num mercado de 540 mil veículos novos.

Senegal: Toyota Hilux

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/06/14/Automoveis/Imagens/Cortadas/Toyota Hilux 3-ID000002-1200x800@GP-Web.png


Fechando os grupos do Copa está o menor mercado desta lista. Em Senegal, a picape média Toyota Hilux ficou na frente em 2017, com singelos 860 unidades vendidas, de um total de 7 mil novos veículos emplacados no país africano.

(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “http://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.6”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Source link

Be the first to comment on "Copa da Rússia 2018: os carros mais vendidos nos países participantes"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*